São Paulo, SP, 18/10/2018
 
23/03/2015 - 19h07m

Medo e Preconceito

 

Medo e Preconceito

Duas das mais instintivas e necessárias atitudes que o homem pode ter são o medo e o preconceito.

Vou explicar.

O que seria de nós sem o medo, que nos faz parar e pensar diante do desconhecido e, antes de agir, ponderar e pesar as consequências?

E quem, tendo pensado e comparado experiências vividas, não já criou padrões nos quais encaixa situações e em que baseia decisões? Não é isso “pré-conceito”?

Porque nem tudo é previsível ou planejável, o que nos acontece independentemente da vontade forma a nossa bagagem e serve de conceito prévio para o que podemos planejar ou prever. É justo, lógico e natural.

Portanto não acho certo que sejamos patrulhados em relação ao medo e ao preconceito. O patrulhamento também não se trata de preconceito?

Concordo que medo e preconceito são pessoais, no sentido de que devem existir nos limites do indivíduo. Devem ser balizadores e formadores de opinião própria, não devendo ser pretexto para interferir na vida das outras pessoas.

Ou seja, controlar e respeitar os próprios medos e preconceitos, porque são instrumentos imprescindíveis para a formação do indivíduo social saudável.

Contribuição de Vera Luz Bromer

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro