Mercado imobiliário tem queda contínua desde o início do ano - Hoje São Paulo
São Paulo, SP, 18/08/2018
 
12/08/2014 - 12h23m

Mercado imobiliário tem queda contínua desde o início do ano

Agência Hoje 
Reprodução
O cenário é causado por clientes em potencial terem se afugentado do setor para ter como gastar com outras coisas
O cenário é causado por clientes em potencial terem se afugentado do setor para ter como gastar com outras coisas

São Paulo - O setor de venda de imóveis apresenta uma contínua queda desde o início de 2014. Os grandes eventos festivos como o Carnaval e a Copa, são alguns dos fatores que tem dificultado o fechamento de novos negócios. A previsão é que uma recuperação só seja vista a partir do primeiro trimestre do ano que vem, quando a situação financeira terá sinais de melhora.

Mês após mês, a porcentagem da queda na venda de novos imóveis tem assustado os corretores. O cenário é causado pelos clientes em potencial terem se afugentado do setor para ter como gastar com outras coisas, mais precisamente comida e bebidas, que cresceu nos últimos meses graças ao calendário de feriados e comemorações.

A situação forçou as imobiliárias a darem descontos aos seus clientes, em busca de evitar mais prejuízos com a queda. "Tivemos um primeiro semestre que foi atípico, o comprador estava voltado para outras questões, tivemos um Carnaval que foi tarde. O objetivo é despertá-lo para a decisão de compra", afirma Adriana Sanches, diretora de marketing da imobiliária Lopes.

Segundo os dados apresentados em maio pelo Secovi-SP, foram vendidas 2080 unidades, quase 1200 a menos que no mesmo período em 2013. Dentre os negócios concluídos, 71,9% das vendas foram de segmentos com dois dormitórios, 76,3% deles em novas construções inauguradas este ano. A procura por imóveis usados caiu 29,5% em pesquisa do CRECISP.

O mercado de locações teve queda de 1% se for comparado de maio para junho. Segundo pesquisa mensal do Secovi-SP, há um acréscimo de 1,9% na procura por unidades com apenas um dormitório, enquanto o aumento pela procura por moradias maiores não chegou a 1%.

O presidente da instituição justificou a queda dizendo que a diminuição é natural, já que o setor tem como característica não fechar negócios do dia para a noite, sempre fazendo uma pesquisa profunda do orçamento de cada família.

Mesmo com a queda nas vendas, o VGV (Valor Geral de Vendas) teve uma leve subida de 0,6% entre abril e maio. A porcentagem representa o valor de R$ 1,35 bilhão.

Procurada, a assessoria do Secovi-SP afirmou não possuir os dados da pesquisa de mercado imobiliários referente aos meses de junho e julho.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro