São Paulo, SP, 23/06/2018
 
16/09/2016 - 08h55m

Nadadora brasileira diz que 5º lugar foi prêmio após acidente que mudou sua vida

Agência Brasil/Cristina Índio do Brasil 

Rio de Janeiro - Patrícia Pereira dos Santos ficou tetraplégica após levar um tiro, no dia 25 de janeiro de 2002, durante assalto à lotérica em que trabalhava. Era o segundo assalto em menos de uma semana e, dessa vez, com uma consequência que mudou a sua vida. Antes do acidente praticava esportes e jogava futebol, mas ao ter que se locomover em cadeira de rodas precisou fazer reabilitação e conheceu o basquete. Foi o bastante para mudar de modalidade. Diante de tantos convites, acabou aceitando os apelos. Hoje é nadadora e, pela primeira vez, participa de uma paralimpíada.

“Como é a primeira convocação, tudo para mim é maravilhoso, ainda mais sendo em casa. Então, não há como ter outro sentimento do que você achar que está sendo bom, porque você está focada e tudo está fluindo bem. Saber que nosso país tem muitos atletas e muito para evoluir. Eles estão mostrando os resultados da forma como ninguém poderia esperar”, disse.

O quinto lugar que alcançou na final dos 50 metros estilo peito na classe SB3 para nadadores com limitações físico motoras, na quarta-feira (14), foi como se tivesse ganhado um prêmio. “Obter o resultado de quinto melhor do mundo para mim está sendo maravilhoso. Uma bela estreia, posso considerar”, afirmou.

“Tudo que um ser humano pode esperar depois de um acidente. Você acreditar, não abaixar a cabeça e mostrar que somos brasileiros. Brasileiro não desiste nunca e eu sou uma dessas”.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro