São Paulo, SP, 20/06/2018
 
13/07/2016 - 14h36m

No Brasil, convênio autoriza mais cesárea que média da OCDE

Agência Brasil/Aline Leal 
Agência Brasil/Arquivo
Nos anos de 2014 e 2015, 85,1% dos 1,1 milhão de partos feitos pelos planos de saúde foram por cesáreas
Nos anos de 2014 e 2015, 85,1% dos 1,1 milhão de partos feitos pelos planos de saúde foram por cesáreas

Brasília - Dados divulgados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) mostram que os planos de saúde brasileiros fazem três vezes mais cesarianas do que a média dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), superando Chile, México e Turquia. Segundo a ANS, o Brasil é o país com maior percentual de partos cirúrgicos.

O levantamento mostra que, nos anos de 2014 e 2015, 85,1% dos 1,1 milhão de partos feitos pelos planos de saúde foram por cesáreas.

As informações estão no Mapa Assistencial, publicação que traz diversas informações sobre o atendimento prestado pelas operadoras de planos de saúde no país e as compara com os índices dos países da OCDE. Entre os dados disponíveis, estão o número de internações, consultas, terapias e exames, e ainda os custos assistenciais informados pelo setor referentes aos anos de 2014 e 2015.

Nesse período, foram registradas 15,5 milhões de internações pelos planos de saúde, totalizando 166 por 1.000 beneficiários, número também acima da média da OCDE, que fica em 155.

Os exames de ressonância magnética feitos pelos planos de saúde brasileiros também superam a média dos países da OCDE, com taxas maiores que as da Turquia, dos Estados Unidos e da França, os países com os índices mais elevados. Para a ANS, é possível que, neste caso, o indicador esteja apontando a execução de exames desnecessários.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro