São Paulo, SP, 21/09/2019
 
26/11/2014 - 16h45m

Novo sistema permitirá acompanhar pacientes com doença sanguínea

Agência Brasil/Yara Aquino 
Arquivo/Agência Brasil
Ministério lançou hoje o sistema Hemovida Web, que reune informações de pacientes com enfermidades sanguíneas
Ministério lançou hoje o sistema Hemovida Web, que reune informações de pacientes com enfermidades sanguíneas

Brasília - Na Semana Nacional do Doador de Sangue, o Ministério da Saúde lançou nesta quarta-feira o Hemovida Web, sistema informatizado para reunir informações sobre os pacientes que têm doença falciforme, enfermidade ligada ao sangue, e recebem tratamento no Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo é aprimorar o acompanhamento do tratamento dos pacientes.

No sistema serão registradas informações cadastrais clínicas sobre os medicamentos usados e eventuais complicações de saúde. Outra função do Hemovida Web é ter um registro de dados nacional que contribuirá para a elaboração de políticas públicas de saúde voltadas para os que tem doença falciforme.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, destacou a importância do sistema. “É uma ganho na qualidade da informação, do monitoramento desse pacientes e, portanto, os próprios pacientes e associações que militam nesse campo da anemia falciforme serão bastante beneficiados. Melhora a capacidade de planejamento e de acompanhamento dessas pessoas”.

Para aderirem ao Hemovida Web os hospitais e hemocentros precisam ter acesso à internet. A adesão dos gestores é feita por termo de confidencialidade de uso e adesão, de acordo com o Ministério da Saúde. Os órgãos que aderirem terão treinamento para conhecer a ferramenta. Progressivamente, eles abastecerão o sistema com informações. Antes do lançamento o sistema informatizado já estava em teste em São Paulo e na Bahia.

A estimativa do Ministério da Saúde é que, atualmente, 40 mil pessoas recebam tratamento para doença falciforme no SUS, em todo o país. A doença é hereditária e caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos. Os principais sintomas são anemia crônica, icterícia (cor amarelada na pele e olhos), mão e pés inchados e crises marcadas por dores nos músculos, ossos e articulações. O tratamento inclui o uso de medicamentos como ácido fólico, antibióticos e penicilina oral ou injetável.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro