Os ruídos externos e o isolamento acústico nas edificações - Hoje São Paulo
São Paulo, SP, 19/08/2018
 
08/11/2014 - 16h25m

Os ruídos externos e o isolamento acústico nas edificações

Agência Hoje 
Agência Hoje/Arquivo
SUSTENTABILIDADE
SUSTENTABILIDADE
  • A performance acústica de cada esquadria varia também conforme o material utilizado
  • As portas feitas de madeira maciça possuem mais capacidade de impedir a entrada do ruído externo na edificação
  • Caixilhos com vidros duplos (esquerda) são mais eficientes do que os de vidro simples (direita) quando se trata de proteção acústica
  • Estudos revelaram os valores aceitáveis de decibéis para cada uso e ocupação dos espaços

São Paulo (Agência Hoje) - Nossas cidades estão cada vez mais barulhentas. As atividades mais comuns, realizadas no entorno das áreas residenciais ou de trabalho, podem se tornar um problema sem o controle na emissão de decibéis. Algumas medidas podem ser adotadas por parte dos projetistas para diminuir esse efeito, com a adoção de soluções combinadas e a utilização de elementos adequados.

As principais fontes de barulho externo são o tráfego de automóveis e de aeronaves, as construções prediais e viárias, a atividade de pessoas nas ruas e vizinhança. Internamente às construções os ruídos são causados pelo o uso de materiais inadequados na construção e o mau isolamento acústico, a utilização dos eletrodomésticos e os emitidos pelas instalações de água e esgoto.

Os ruídos externos penetram nas construções por diversas formas. A principal delas é através das esquadrias. É natural que seja assim, pois a capacidade de isolamento acústico de uma parede de alvenaria, por exemplo, é bem maior do que a de uma janela, que possui menos massa que aquela.

As vibrações das estruturas, ou seja, vigas, lajes pilares e paredes também transmitem ruído para o interior das construções. No caso dos edifícios de pavimentos, o problema é mais evidente, sendo necessário lançar mão de algumas soluções estruturais, como aumentar a espessura das lajes ou utilizar mantas elásticas no contrapiso.

A utilização de forros comuns pouco contribui para minimizar o ruído externo. Um forro leve por baixo de telhado em telha vã, seja de PVC, gesso ou madeira impedirá muito pouco, mesmo que se coloque uma manta absorvente por cima dele. No caso da laje de concreto, o isolamento acústico é semelhante ao de uma parede de tijolos, ou seja, em torno de 30 dB.

Quanto menos frestas as janelas e portas apresentarem, maior a sua capacidade de proteção acústica. As esquadrias com sistema de abrir com giro permitem, em geral, mais vedação entre as folhas do que as de correr, pois podem ser fechadas sob pressão. As esquadrias tipo guilhotina proporcionam quase zero de isolamento acústico, justamente por causa das frestas. A. espessura e a quantidade dos vidros também são importantes, pois podem melhorar muito o isolamento.

Quanto aos materiais, caixilhos de madeira são mais eficientes para impedir a entrada dos ruídos do que os de ferro, PVC ou alumínio, pois possuem maior massa. Janelas e portas maciças, com encaixes bem feitos e revestidos com borrachas macias podem atingir isolamentos acima de 40 dB, mais do que paredes de alvenaria.

Controlar a incidência de ruídos nos ambientes não é apenas uma quastão de conforto, mas de saúde.  Um bom projeto de construção ou de ambientação pode reduzir os riscos de problemas ligados ao ruído ecessivo, através do uso adequado de técnicas e materiais.

* Sandra Vieira de Mello, CAU A16373-2 é Arquiteta e Urbanista.                                                                                           Contribuições para esta Editoria podem ser encaminhadas para o e-mail: hoje.sandra@gmail.com

 

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro