São Paulo, SP, 21/09/2019
 
01/11/2015 - 06h11m

Pacientes com hipertensão pulmonar estão desde agosto sem medicamentos em Brasília

Agência Brasil/Aline Leal 
Reprodução
Pesquisadores do Instituto de Química da USP descobrem nova forma de cuidar de pacientes com hipertensão pulmonar
Pesquisadores do Instituto de Química da USP descobrem nova forma de cuidar de pacientes com hipertensão pulmonar

Brasília - Pacientes que sofrem de hipertensão arterial pulmonar (HAP) estão desde o mês de agosto sem a bosentana - medicamento importante para o tratamento da doença. Segundo Flávia Lima, coordenadora do grupo de apoio de Brasília ligado a Associação Brasileira de Amigos e Familiares de Portadores de Hipertensão Arterial Pulmonar, o medicamento chega a custar R$ 3 mil por mês e só é encontrado em farmácias especializadas.

A HAP é considerada uma doença rara que afeta os pulmões. A falta da medicação pode descompensar o paciente causando mais limitação nas atividades de rotina como; pequenas caminhadas e higiene pessoal. A estimativa é quem no Distrito Federal não chegue a 200 o número de pacientes com a doença.

Segundo Flávia, a associação notificou a Secretaria de Saúde do Distrito Federal. A resposta é sempre que o processo de compra está correndo. “O processo vai de um departamento para o outro, e assim nunca chega ao final da compra”.

Em setembro a Secretaria de Saúde informou em nota que estava em processo emergencial de compra do medicamento, porém, procurada esta semana pela Agência Brasil para atualizar a informação, a assessoria de imprensa disse que “houve uma tentativa de compra por processo emergencial, mas não houve interesse por parte das empresas.”

Apesar disso, a Actelion, única empresa atualmente responsável pelo fornecimento do medicamento no Brasil, disse que a última vez que o governo do Distrito Federal fez o pedido do medicamento foi em abril. “A empresa ressalta que está aguardando o contato da Hospfar, distribuidor oficial do medicamento no DF, com a solicitação da nota de empenho para compra da bosentana, de modo a atendê-los prontamente”, disse em nota a empresa.

A Secretaria de Saúde afirmou que está em processo regular de compra do medicamento, mas diz que não tem como estimar um prazo para que os pacientes possam ter acesso ao produto pela rede pública.

A bosentana faz parte de um grupo de medicamentos especializados que o Ministério da Saúde reembolsa os estados e o Distrito Federal depois que estes entregam o remédio aos pacientes.

A Secretaria de Saúde informou, na noite de sábado (31), que já adquiriu o medicamento Bosentana e aguarda a entrega por parte dos fornecedores.

Acrescentou que o medicamento foi comprado este mês. Anunciou, ainda, que a dosagem de 862,5 mg está com entrega pendente desde o dia 26 último. Já a dosagem de 125 mg está no prazo de entrega que se encerra em 6 de novembro.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro