São Paulo, SP, 22/11/2019
 
09/08/2016 - 09h36m

Papa condena ataque suicida a hospital em Quetta, no Paquistão

Agência Brasil/Agência Ansa 
Agência Brasil/Arquivo
Papa definiu o ataque como "um brutal e sem sentido ato de violência"
Papa definiu o ataque como "um brutal e sem sentido ato de violência"

Roma - O papa Francisco lamentou nesta terça-feira (9) o atentado suicida realizado em um hospital em Quetta, no Paquistão, no começo desta semana, que deixou aos menos 70 mortos. O papa definiu o ataque como "um brutal e sem sentido ato de violência".

Preocupado, o líder da Igreja Católica enviou uma mensagem às autoridades eclesiásticas e civis do Paquistão.

"Profundamente entristecido ao saber das numerosas vítimas do ataque a um hospital em Quetta, o papa envia suas sinceras condolências aos parentes das vítimas, às autoridades e a toda a nação, enquanto garante suas orações pelos feridos desse brutal e sem sentido ato de violência", explicou o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin.

"O papa pede para todos que estão de luto e que foram afetados pela tragédia dons divinos de consolação e força", concluiu a mensagem.

Ao menos 70 pessoas morreram e mais de 90 ficaram feridas na segunda-feira (8) em um atentado suicida no hospital de Quetta. A explosão ocorreu pouco após o corpo de Bilal Kasi, um importante advogado da região, ter sido levado ao local.

Ele foi morto em um tiroteio. O grupo extremista Jamaat-ur-Ahrar, ligado ao Talibã paquistanês, reivindicou a responsabilidade do ataque.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro