São Paulo, SP, 16/10/2018
 
05/12/2014 - 19h37m

Papelão

 

É praticamente unânime a opinião de empresários de diferentes setores de que a Copa do Mundo e as eleições de 2014 criaram muitas dificuldades para a economia brasileira, reduzindo drasticamente o volume de negócios e inibindo novos investimentos.

As perspectivas para 2015, sem Copa e sem eleições, ainda não conseguiram animar o empresariado. É costume do mercado usar a indústria de papelão como termômetro da economia. As industriais ligadas ao setor dizem que se há boas encomendas de papelão é sinal de que estão sendo feitas muitas embalagens e, nesse caso, as vendas no varejo e no atacado foram retomadas.

Tem muita gente de olho nesse "termômetro", mas ele ainda não deu sinal de vida. A ABPO (Associação Brasileira de Papel Ondulado) ainda vê dificuldades no horizonte, como o reflexo no Brasil do cenário econômico mundial, o ambiente de competitividade crescente, os custos de matérias-primas em elevação e o baixo crescimento da economia no país.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro