São Paulo, SP, 16/11/2019
 
09/09/2013 - 09h29m

Pesquisa diz que 94% dos homens quer ir à consulta da mulher

Agência Hoje 
Agência Hoje/Arquivo
Em cidades com mais de 100 mil habitantes, 94% dos homens acompanham as mulheres nos exames de pré-natal
Em cidades com mais de 100 mil habitantes, 94% dos homens acompanham as mulheres nos exames de pré-natal

Ribeirão Preto, São Paulo (Agência Hoje) - Pesquisa realizada pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, confirmou o que os médicos já pensavam: 94% dos homens demonstram interesse em acompanhar as suas mulheres durante as consultas de pré-natal. Os pesquisadores disseram que muitos homens reclamaram e se frustraram quando foram impedidos de entrar na sala de consulta.

Aproveitando o interesse masculino, o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (SP) implantou um projeto pioneiro: o pré-natal masculino. Assim que a gestante chega ao hospital, a equipe que a recebe pergunta se o parceiro também quer participar da consulta.

O obstetra que atende o casal convida o homem a fazer alguns exames, inclusive muitos que já fazem parte do pacote que a grávida tem de realizar ainda no primeiro trimestre de gravidez. São eles: sorologia para hepatite B e C, HIV e sífilis, além de exames de sangue para detectar presença ou não de diabetes, verificar níveis de colesterol e medição da pressão arterial.

Por este acolhimento, a resposta foi positiva. Mais de 80% dos futuros pais aderiram ao pré-natal, aceitaram fazer todos os exames e acompanhar as esposas em todas as consultas. Também concordaram em participar de oficinas sobre cuidados básicos do bebê e importância da amamentação, esta uma opção exclusiva, realizada aos sábados.

“É um mito essa história de que o homem não quer participar do pré-natal da mulher ou de que não quer ir ao médico. A nossa experiência mostra que o homem não sabe qual é a porta de entrada do sistema de saúde”, diz Geraldo Duarte, vice-diretor da Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto (SP) e responsável pela implementação do projeto no hospital.

O projeto foi implantado em 2007 em Ribeirão Preto. Hoje está presente em diversas cidades do país e faz parte das ações da Política Nacional de Saúde do Homem do Ministério da Saúde. O pré-natal do parceiro pretende alcançar homens entre 20 e 59 anos, num universo de quase 52 milhões de pessoas no Brasil. “As ações têm como objetivo prevenir doenças e incluir o homem na paternidade”, diz Eduardo Chakora, coordenador de Atenção da Saúde do Homem do Ministério da Saúde.

Além dos exames de sorologia, as equipes de saúde que recebem os parceiros podem aproveitar para sugerir a realização de exames preventivos da próstata e cirurgias como vasectomia e fimose. “É importante que esse homem seja bem acolhido pelas equipes de saúde, que tenham uma escuta qualificada”, diz Chakora. Ele acredita que dessa forma, os homens passam a considerar o serviço de saúde como um lugar onde ele pode ir para se prevenir de doenças e não o local para receber tratamento.

Segundo Chakora, o pré-natal do parceiro, como o check-up masculino é chamando no Ministério da Saúde, já está presente nas políticas de saúde dos 26 Estados e do Distrito Federal, além de 80 municípios com mais de 100 mil habitantes.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro