São Paulo, SP, 24/06/2018
 
26/02/2014 - 15h29m

Praia interditada em Búzios tem indícios de produtos químicos, constata laudo técnico

Agência Brasil/Akemi Nitahara 

Rio de Janeiro - A análise feita na água coletada na Praia da Tartaruga, em Búzios, na Região dos Lagos, interditada na sexta-feira (21), constatou a presença de produtos químicos como ferro, cobre e zinco. Porém, segundo a nota divulgada hoje (26), pelo vice-prefeito e secretário de Meio Ambiente e Pesca, Carlos Alberto Muniz, não foi possível determinar a origem dos produtos.

Essa amostra foi coletada sexta-feira, após cerca de 60 banhistas apresentarem irritação nos olhos, nas vias aéreas e na pele. De acordo com a prefeitura, a mancha na água, com 200 metros de comprimento e 40 metros de largura, aponta para um navio, e os produtos químicos encontrados são semelhantes aos usados em banheiros químicos dessas embarcações. Foi descartada a possibilidade de vazamento de esgoto na praia.

A Praia da Tartaruga foi liberada para banho na manhã de hoje, e a prefeitura informa que vai continuar investigando para descobrir a origem da contaminação e acionar judicialmente os responsáveis pelo crime ambiental.

Segundo a Secretaria Estadual do Ambiente, a amostra de água coletada no sábado (22) “não contêm elementos que caracterizem despejo de esgoto ou floração de microalgas”, e "não foi conclusiva quanto à presença de substâncias que possam ter causado o mal-estar”.

Em nota, o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) informa que os testes feitos nas amostras de água, coletadas próximo e dentro da embarcação, apontam que a alteração na coloração da água deve ter sido causada pelo “revolvimento do leito marinho, ao ser acionado o motor do navio”.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro