São Paulo, SP, 24/09/2019
 
09/11/2013 - 20h27m

Prefeitura investe R$ 4,32 milhões em 177 projetos na periferia

Agência Hoje 
João Luiz
Grupo de Maracatu Umujá mostra dança apresentada em bairros da periferia
Grupo de Maracatu Umujá mostra dança apresentada em bairros da periferia

São Paulo (Agência Hoje) - A Prefeitura de São Paulo confirmou a liberação de R$ 4,32 milhões para incentivar 177 projetos artísticos desenvolvidos na periferia da cidade e que fazem parte do Programa para Valorização de Iniciativas Cuturais. A área de abrangência e o valor do apoio a grupos de jovens de baixa renda envolvidos nas atividades também aumentou.

A partir de lei sancionada pelo prefeito Fernando Haddad, denominada VAI 2, o limite do valor destinado a cada projeto passou a ser de R$ 30 mil, destinados a grupos de jovens ou adultos que atuam em regiões periféricas da cidade há pelo menos dois anos. Em 10 anos, o Programa VAI original investiu R$ 18 milhões em 1.100 projetos culturais.

De acordo com o prefeito, o objetivo da ampliação do programa é incentivar a continuidade das iniciativas nas regiões mais carentes da cidade. “Muitos grupos incentivados pelo VAI se desfaziam em função da falta de uma continuidade de apoio por parte do poder público. Agora com o VAI 2 e com o edital dos pontos de cultura, você tem uma cadeira de produção de cultura na cidade completa, como uma formação inicial e depois uma formação continuada”, disse ele.

Ao longo de dez anos, o VAI já investiu R$ 18 milhões em 1.100 projetos culturais. Em 2013, foram R$ 4,32 milhões em 177 projetos. O VAI 1 têm como prioridade jovens de 18 a 29 anos, de baixa renda, que desenvolvam propostas coletivas em regiões com precariedade de recursos e equipamentos culturais.

“Eu participei com movimentos culturais e sociais pela criação de algo que preenchesse uma lacuna. A gente viu que a demanda começou a crescer e não tinha uma lei que possibilitasse que os grupos que tivessem participado do VAI duas vezes dessem continuidade. O VAI 2 vem preencher esta lacuna”, lembrou Daniel Marques, um dos organizadores do Sarau "O que Dizem os Umbigos", do Itaim Paulista.

Por ser destinado a iniciativas mais consolidadas, os projetos que forem aprovados no VAI 2 terão permissão de utilizar até 30% do valor do projeto para reforma ou adaptação de espaço físico, investimento proibido para os projetos do VAI 1. Outra mudança é que o programa deixa de estabelecer o limite de duas participações por grupo cultural.

O apoio pode ser solicitado para ações de produção e criação, eventos que acontecem periodicamente, organização de fóruns e redes, gestão de espaços culturais ou ações de formação cultural. Os projetos inscritos são avaliados por uma comissão entre 10 e 16 pessoas, cuja metade dos membros pertence à Prefeitura e a outra metade à sociedade civil. A avaliação é feita a partir do histórico do grupo, das perspectivas de continuidade após a participação no programa e o impacto das ações em suas regiões.

O secretário da Cultura, Juca Ferreira, aproveitou o evento para anunciar a instalação de 350 pontos de cultura na cidade, cujo edital deve ser lançado em 10 dias. Os pontos de cultura são espaços de fomento cultural espalhados pelo território, ligados ao programa Cultura Viva, do Ministério da Cultura. O objetivo dos pontos é catalisar iniciativas artísticas, principalmente em bairros periféricos.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro