São Paulo, SP, 30/06/2022
 
12/07/2012 - 08h33m

Preliminar das eleições tem vitória dos liberais no leste da Líbia

Agence France Presse 
©AFP / Gianluigi Guercia
Integrantes da Comissão Eleitoral líbia acompanham os resultados provisórios da votação em Trípoli
Integrantes da Comissão Eleitoral líbia acompanham os resultados provisórios da votação em Trípoli

TRÍPOLI (AFP) - Os novos resultados preliminares das eleições líbias, baseados nos assentos reservados aos partidos políticos, confirmaram nesta quarta-feira a derrota sofrida pelos islamitas no leste do país, antes considerado o seu reduto.

Em Benghazi (11 assentos), a Aliança das Forças Nacionais (AFN, liberal) registrou 95.733 votos contra 16.143 votos para o Partido da Justiça e da Construção (PJC), ligado à Irmandade Muçulmana.

Em uma outra circunscrição reunindo quatro cidades do leste, incluindo Al-Baida, a aliança liberal do ex-primeiro-ministro do Conselho Nacional de Transição (CNT, no poder) Mahmud Jibril, obteve 47.551 votos, muito à frente do PJC, que ficou com 6.424. Um outro partido que faz parte da coalizão de Jibril ficou em terceiro, com 4.790 votos.

Segundo os resultados anunciados na terça-feira, os islamitas ficaram com seis vezes menos assentos do que a aliança liberal em uma outra região do leste que reúne as cidades de Tobruk, Kobba e Derna (5 assentos).

Esses resultados são relativos aos 80 assentos reservados aos partidos da futura Assembleia Nacional.

A disputa também é travada pelos 120 assentos atribuídos a candidatos individuais.

Islamitas e liberais tentarão seduzir ao máximo os candidatos independentes ou ligados a um partido que ocuparem as cadeiras.

Nesta quarta-feira, o secretário-geral da AFN, Faiçal al-Krekchi, indicou em uma entrevista à AFP que sua aliança conseguiu até o momento cem assentos: 55 atribuídos pela votação às formações e entre 40 e 45 dos independentes ligados à aliança.

Na terça-feira, o líder do partido islamita PJC, Mohamed Sawan, havia afirmado à AFP que seu partido tinha conseguido "bons resultados" na votação para candidatos independentes.

As eleições foram realizadas no sábado para a escolha dos 200 membros do Congresso Nacional Geral, que vai substituir o Conselho Nacional de Transição (CNT) até a adoção da futura Constituição.

As leis serão votadas por maioria de dois terços, o que pode causar um bloqueio, na ausência de um consenso ou de um grande bloco majoritário.

Hoje São Paulo

© 2022 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro