São Paulo, SP, 19/09/2019
 
20/10/2016 - 15h26m

Procura por voos domésticos tem queda de 4,4% em setembro

Agência Brasil/Daniel Mello 
Agência Brasil/Tânia Rêgo
Em setembro, sete milhões de passageiros viajaram em voos domésticos no país
Em setembro, sete milhões de passageiros viajaram em voos domésticos no país

São Paulo - A demanda por voos domésticos caiu 4,4% em setembro na comparação com o mesmo mês de 2014, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira (20) pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear). No período, foram transportados sete milhões de passageiros.

No acumulado do ano, 65,4 milhões de passageiros voaram de janeiro a setembro, queda de 6,07%, em relação ao mesmo período de 2015.

Nos voos internacionais, a queda em setembro foi de 4,27%, com 619 mil passageiros transportados no mês. No acumulado do ano, houve retração de 2,78%, com o transporte de 5,5 milhões de passageiros de janeiro a setembro deste ano.

Em relação ao transporte de cargas, houve retração de 5,31% no total transportado nos mercados interno e externo nos primeiros três trimestres de 2016 em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Indícios de melhora

Apesar da retração, o resultado de setembro indica uma desaceleração nos níveis de queda que o setor vinha registrando, segundo assessor técnico da Abear, Maurício Emboaba. “Isso reflete mais ou menos o que a gente começa a ver na economia. Parece que estamos parando de ir para baixo”, ressaltou durante a apresentação dos dados.

“Todo os números nos levam a apontar o seguinte: se a velocidade de queda está diminuindo, é sinal de que estamos chegando em pouso suave”, acrescentou o presidente da Abear, Eduardo Sanovicz. Segundo o executivo, o setor pode ter um desempenho menos desfavorável do que o previsto para este ano.

“Estou começando a olhar para 8% e não mais 10% de queda. Porque eu tinha uma série de indícios de que a gente ainda poderia ver novos movimentos de redução, o que eu não estou mais vendo”, calculou.

Apesar do cenário desfavorável, Emboaba acredita que as empresas de aviação têm conseguido se adaptar às adversidades, ajustando a oferta de assentos.

“A indústria tem dado respostas adequadas. A taxa de aproveitamento dos voos não cai. Pelo contrário sobe ligeiramente, mesmo em um período de dificuldade econômica. Ou seja, a indústria consegue ajustar a sua capacidade, a sua oferta à demanda”, destacou o assessor técnico.

Em setembro, a oferta de assentos foi reduzida em 6,3%, e no acumulado do ano, de janeiro a setembro, as companhias diminuíram em 5,6% a disponibilidade de viagens.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro