São Paulo, SP, 17/10/2018
 
16/06/2012 - 00h19m

Radares eletrônicos voltam a aplicar multas a partir de segunda

Folhapress/Marília Rocha 

CAMPINAS, SP (Folhapress) - Os radares eletrônicos de Campinas (93 km de São Paulo) voltam a multar os motoristas infratores a partir de segunda-feira. Os equipamentos estavam inoperantes desde 16 de março, quando o contrato anterior chegou ao fim e não foi renovado a tempo devido às mudanças no comando da cidade.

Com o novo contrato, cem radares entrarão em operação em um prazo de 90 dias. Na próxima semana, 46 radares fixos e 20 em semáforos já estarão em funcionamento.

Segundo a Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), no período em que os radares não funcionaram foram aplicadas 23% da média de 40 mil multas mensais na cidade.

De agosto do ano passado a abril deste ano, houve quatro trocas no cargo máximo da prefeitura, devido a suspeitas de corrupção.

A Engebrás, empresa que foi alvo de investigação em uma CPI da Câmara Municipal por supostas irregularidades na licitação, foi declarada inidônea pelo governo do Rio Grande do Sul em maio.

"Como isso ocorreu depois da nossa licitação e depois da assinatura do novo contrato, não há interferência", afirmou o diretor de operações da Emdec, Edson Gonçalves.

Pelo contrato anterior, a prefeitura pagava R$ 890 mil por mês para a fiscalização com 80 radares em 132 pontos. Agora, para ter 100 radares em 300 pontos, serão gastos R$ 338 mil.

A diferença se deve, segundo Gonçalves, a mudanças nas exigências feitas à empresa. O contrato atual tem validade de três anos.

"Vamos implantar os radares nas principais vias e cruzamentos em que há mais acidentes e, até agosto, usaremos os portáteis também", afirmou o diretor. "A maior preocupação é com áreas em que há concentração de motociclistas, que têm sido as principais vítimas de acidente e precisam de fiscalização para ter mais prudência."

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro