São Paulo, SP, 30/06/2022
 
29/10/2013 - 08h34m

Reclamações e muita confusão após mudanças em 43 linhas de ônibus

Agência Hoje 
Reprodução
Falta de informações, reclamações e muita confusão no primeiro grande teste das mudanças em linhas de ônibus na Zona Leste
Falta de informações, reclamações e muita confusão no primeiro grande teste das mudanças em linhas de ônibus na Zona Leste

São Paulo (Agência Hoje) - Muita confusão e falta de informações no primeiro grande teste com as mudanças em 45 linhas de ônibus da Zona Leste, em São Paulo, nesta segunda-feira, 28. Sem funcionários em número suficiente e com sinalização improvisada em cartazes escritos à mão, de última, hora, a SPTrans foi criticada ruidosamente por passageiros e motoristas.

As maiores reclamações são para as mudanças nos trajetos dos ônibus. Perto de 10% dos passageiros da Zona Leste, cerca de 20 mil pessoas, acostumadas a tomar dois ônibus para chegar ao trabalho, tiveram que pegar três e até quatro. "É um absurdo, uma vergonha, demorar tanto tempo para fazer uma viagem curta. Mudaram errado", comentava a comerciária Maria Eunice de Lima, que antes fazia o trajeto em 1h20 e agora leva mais de duas horas.

Os próprios motoristas das empresas não estavam satisfeitos com a situação. As mudanças tirando os ônibus menores e colocando os biarticulados, criaram dificuldades nas manobras porque os espaços dos terminais são pequenos, inapropriados para esse tipo de veículo. "Impossível fazer um bom trabalho. Esqueceram que o espaço é pequeno demais para os ônibus grandes. Eles sabem mandar, mas sempre esquecem alguma coisa", dizia um motorista, indignado.

Planos da SPTrans

Depois que a Prefeitura de São Paulo cancelou o contrato com a Viação Itaquera-Brasil, as linhas de ônibus que eram atendidas por ela foram redistribuídas entre duas outras empresas. Essa mudança gerou alguma apreensão entre os passageiros, mas foram aceitas porque não implicavam em grandes alterações nos itinerários.

"Agora, com essa mudança radical, alterando itinerário de ônibus, destinos, números e horários virou uma bagunça. Nem os funcionários sabem o que estão fazendo, um joga para o outro e ninguém se entende. Quando estão pressionados, eles simplesmente somem", afirmou a auxiliar de cozinha Edna Miranda dos Santos, moradora da Cidade Tiradentes.

Nos planos da SPTrans a reorganização de 45 linhas de ônibus na Zona Leste e mais a criação de uma linha adicional para atender as regiões de Cidade Tiradentes, São Mateus e Carrão, vai ajudar muito os passageiros. "É só ter um pouco de paciência - sugere um funcionários, sem se identificar - as pessoas reclamam agora porque é novidade. Em poucos dias eles se habituam e vão elogiar os novos serviços, é só esperar".

A reorganização faz mudanças em 45 linhas de ônibus, com 16 alterações de itinerários, 14 seccionamentos, 10 substituições e quatro alterações de numeração ou de nomes dos destinos. As maiores reclamações se referem a falta de informações confiáveis e as mudanças. "Não houve divulgação, ninguém sabe de nada", comentam os passageiros, reclamando ainda de que as mudanças foram intempestivas, todas ao mesmo tempo, sem conhecimento prévio dos usuários.

Protestos e Recuo

As reclamações crescentes e um princípio de protesto, levaram a SPTrans a rever sua estratégia de reorganização dos ônibus na Zona Leste. Duas linhas que tinham sido alteradas no sábado, 26, - a 3539/10 Cidade Tiradentes-Terminal Parque Dom Pedro II e a 312N/10 Terminal Cidade Tiradentes-São Miguel Paulista - voltaram a funcionar no sistema antigo, seguindo os mesmos horários e o mesmo itinerário. 

A mudança anunciada oficialmente e depois a decisão de voltar atrás, também geraram confusão. Parte dos passageiros estava acompanhando o site da empresa, onde as duas linhas eram consideradas alteradas, mas na prática, elas permaneceram como antes. Com os protestos, a SPTrans designou funcionários para esclarecer e acomodar a situação.

A diretora de Planejamento da SPTrans, Ana Odila de Paiva Souza, disse que as mudanças tem o objetivo de atender melhor os passageiros, oferecendo ônibus maiores, mais confortáveis e mais rápidos, mas admitiu que podem existir falhas que serão corrigidas com o passar dos dias. Segundo ela, a população será beneficiada com o novo formato e sentirá a diferença ainda nos próximos 15 dias.

Veja aqui se sua linha de ônibus sofreu alguma alteração.

Hoje São Paulo

© 2022 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro