São Paulo, SP, 23/05/2017
 
08/05/2017 - 17h51m

Reunião do Conselho discute novos avanços no controle do doping

Ministério do Esporte/Leonardo Dalla 
Ministério do Esporte/Leonardo Dalla
Membros do Conselho Nacional do Esporte discutem formas de evitar doping nas competições
Membros do Conselho Nacional do Esporte discutem formas de evitar doping nas competições

Rio de Janeiro - A 37ª reunião do Conselho Nacional do Esporte (CNE), realizada nesta sexta-feira (05), na representação do Ministério do Esporte no Parque Olímpico da Barra, no Rio de Janeiro, contou com importantes debates para o esporte brasileiro, com destaque para os avanços no controle de dopagem no esporte e a atuação da Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO).

Presidindo a reunião do Conselho, o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, elogiou a atuação da AGLO. “A parceria com o Comitê Olímpico do Brasil (COB) e o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) nos permitirá garantir o uso adequado e intenso do nosso legado olímpico, que atenderá tanto como locais de treinamento e iniciação ao esporte, como espaços de inclusão social. Essas parcerias são fundamentais para a concretização do legado olímpico”, disse o ministro.

Fase Final

O procurador-geral do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJDA), Bruno Barata, apresentou os nomes dos advogados Alexandre Ferreira, Ricardo Marcos de Almeida e Patrícia Silva, que, após aprovação do CNE, passarão a figurar no quadro da Procuradoria.

“São três advogados que têm qualificação exemplar. A Procuradoria do Tribunal Antidopagem está em criação e o regimento interno está em fase final. Queremos entrar em operação o mais rápido possível”, disse Barata.

Para o secretário nacional da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), Rogério Sampaio, a criação do tribunal é uma evolução na luta esportiva contra o doping.

“Foi um esforço de diversos departamentos do Ministério do Esporte. As indicações de nomes vieram de confederações, da Comissão Nacional de Atletas e do próprio Ministério do Esporte. Além disso, trabalhamos muito para que todo o processo de criação do tribunal e seu regimento interno fosse aprovado pela WADA (Agência Mundial Antidopagem)”, disse.

Sampaio também defendeu a independência entre as instituições que trabalharão no combate à dopagem no esporte. “Conforme determina a lei, é importante que haja independência entre o Tribunal, a ABCD e o Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD). Então, buscaremos cada vez mais a independência entre essas instituições para que funcionem como devem funcionar”, garantiu.

Bolsa Atleta

Outro ponto debatido na reunião foi a sugestão do Ministério do Esporte para a alteração da Lei 13.155, de 4 de agosto de 2015, que classificou o atleta como contribuinte individual à Previdência Social. O Ministério propõe a remissão desta contribuição.

“É algo que impacta diretamente os atletas, especialmente os paralímpicos, que em alguns casos têm que optar por benefícios do INSS ou o Bolsa Atleta”, disse o ministro do Esporte, Leonardo Picciani.

Jogos Mundiais Militares

O comandante Luiz Claudio Reis, presidente Comissão do Desporto Militar Brasileiro (CDMB), aproveitou a reunião para anunciar a participação do Brasil na sétima edição dos Jogos Mundiais Militares, que serão realizados em 2019, na China.

“A Comissão Desportiva Militar agradece o apoio do Ministério do Esporte, fundamental para que pudéssemos alavancar o nosso trabalho. Já começamos os trabalhos para a participação dos Jogos Mundiais Militares, que tenho certeza de que serão um sucesso. E também estamos trabalhando para que a realização dos Jogos Mundiais Militares de 2023 seja no Brasil”, disse Reis.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro