São Paulo, SP, 26/09/2018
 
25/08/2016 - 10h35m

Ricardo Lewandowski pede que senadores ajam com isenção, objetividade e responsabilidade

Agência Brasil/Karine Melo e Carolina Gonçalves 

Brasília - Ao abrir a primeira sessão da fase final do julgamento do processo de impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, fez um discurso lembrando da responsabilidade dos senadores.

Lewandowski lembrou que, a partir de agora, os senadores "transmutam-se em verdadeiros juízes". Nessa condição, o ministro disse que devem ser deixadas de lado posições ideológicas, preferências políticas e inclinações pessoais.

Para julgar a petista, o magistrado orientou que eles atuem “com a máxima isenção e objetividade, considerando os fatos tais como se apresentam nos autos do processo e as leis que sobre eles incidem”.

Ainda lembrando a seriedade desse processo, o ministro lembrou o Código de Ética da Magistratura: “o juiz no desempenho de sua árdua, mas ao mesmo tempo sublime missão, deve nortear-se em especial pelos princípios da independência, da imparcialidade, do conhecimento e da capacitação agindo com cortesia, transparência prudência, diligência, integridade, dignidade honra e decoro”, destacou

O ministro também esclareceu que será rígido e não vai permitir qualquer tentativa das partes para procrastinar o andamento do julgamento que, garantiu, começa hoje, mas não tem data certa para terminar, já que transcorrerá com toda tranquilidade.

Ricardo Lewandowski disse que o primeiro intervalo de uma hora da sessão desta quinta-feira será às 13h e o segundo às 18h. A partir daí, a sessão será interrompida a cada quatro horas.

Hoje e amanhã o senadores vão ouvir as oito testemunhas arroladas no processo: duas da acusação e seis da defesa.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro