Rio começa a receber navios com 350 mil turistas para as férias - Hoje São Paulo
São Paulo, SP, 21/08/2018
 
22/12/2016 - 21h48m

Rio começa a receber navios com 350 mil turistas para as férias

Agência Brasil/Cristina Indio do Brasil 
Agência Brasil/Arquivo
Turistas começam a desembarcar de grandes navios para temporada de férias no Rio
Turistas começam a desembarcar de grandes navios para temporada de férias no Rio

Rio de Janeiro - Até abril, cerca de 350 mil turistas e tripulantes devem passar pelo terminal Pier Mauá, na região portuária do Rio de Janeiro. Eles chegarão à cidade em navios da temporada de cruzeiros 2016/2017, que começou no dia 18 de novembro e ganha maior intensidade a partir deste mês.

O maior movimento de passageiros é esperado para o sábado (24), véspera de Natal, e para o sábado seguinte (31). Nessas datas vão aportar seis embarcações, sendo três em cada dia, mas até abril serão 93 atracações.

A segunda maior movimentação será 24 e 28 de fevereiro, período do carnaval, quando a cidade receberá sete navios e os maiores fluxos de passageiros e tripulantes ocorrerão nos dias 26 e 27.

No mês seguinte, a atração será a primeira embarcação comercial no mundo a atravessar a ligação entre o Atlântico Norte e o Oceano Pacífico, a rota marítima do norte.

O navio de luxo francês Le Soléal, com capacidade para 264 passageiros tem o design assinado por Joel Bretecher, também responsável por criações para a Ferrari. A embarcação aportará no dia 13 de março e ficará uma noite no Rio.

O secretário de Estado de Turismo do Rio de Janeiro, Nilo Sérgio Félix, disse hoje (21) que os cruzeiros marítimos são uma das mais completas modalidades de lazer para os visitantes, que não precisam se preocupar com embarques e desembarques em aeroportos, traslados e roteiros.

“O ambiente costuma oferecer grande estrutura de lazer e de serviços. É um importante segmento do turismo, gerador de milhares de postos de trabalho e de renda para as cidades que recebem o enorme fluxo de passageiros transportados”, destacou.

Saneamento

O problema de saneamento com a movimentação dos navios no Píer Mauá levou a concessionária a fazer uma parceria com a Cedae e as embarcações passaram a ser atendidas pelo sistema de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário, o Eixo Sanitário, que entrou em funcionamento em julho.

Todo o esgoto produzido nos navios é retirado e transportado por um grande tubo coletor subterrâneo na Avenida Rodrigues Alves, onde está localizado no Píer, para a estação de Tratamento de Esgotos (ETE) Alegria, no Caju, também na região portuária do Rio. O serviço tem capacidade de atender, simultaneamente, até quatro embarcações de grande porte.

O diretor de Distribuição e Comercialização da Cedae, Marcello Motta, informou à Agência Brasil, que desde agosto foram coletados e transportados 11,1 milhões de litros de esgoto. Antes, todo o esgoto produzido pelas embarcações era jogado em alto mar, como costuma acontecer em outros portos no mundo.

“Isso é um grande ganho em função da gente evitar uma poluição em alto-mar, mesmo que ele depure. Estamos levando todo esse esgoto para uma estação de tratamento, que é o correto. Tem que facilitar o tratamento de esgoto dos navios ancorados. É uma posição ecologicamente correta”, afirmou.

Motta disse que, durante a Olimpíada, o sistema passou por uma operação maior, porque atendeu a duas embarcações que serviram de concentração das seleções de basquete feminino e masculino dos Estados Unidos e de um navio com 3 mil cabines, que ficou operando como hotel flutuante.

Para a atual temporada de cruzeiros, a expectativa é manter o patamar de coleta de 11 milhões de litros de esgoto. “A gente vai ter uma medição parecida. Teve uma medição elevada no período da Olimpíada, mas nos períodos subsequentes foram menores. No período agora de janeiro e fevereiro vai haver picos diferentes das últimas medições. Então, a nossa expectativa é de que se mantenha este mesmo valor”, ressaltou.

O Eixo Sanitário atende ainda com água potável, com capacidade de atender a quatro embarcações simultaneamente, substituindo o abastecimento por meio de balsas pipa, antes da inauguração do novo sistema. Desde o período da Olimpíada até o mês de outubro, a Cedae fez o abastecimento de quase 14 milhões de litros de água às embarcações.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro