São Paulo, SP, 16/10/2019
 
03/03/2016 - 09h55m

Rússia pede aos EUA que renunciem à instalação de sistema antimíssil na Coreia

Agência Lusa 

Moscou - A Rússia pediu nesta quinta-feira (3) aos Estados Unidos que renuncie aos planos de instalação de sistemas de defesa antimísseis na península coreana para impedir uma nova escalada nuclear entre Coreia do Sul (Seul) e Coreia do Norte (Pyongyang).

A Rússia, um dos poucos aliados do regime norte-coreano, justificou a resolução da Organização das Nações Unidas (ONU) como "uma medida necessária depois de Pyongyang, cuja aprovação apoiou, ter ignorado durante mais de dez dias as exigências do Conselho de Segurança, que obrigam à suspensão imediata do programa de armamento nuclear".

Moscou disse esperar que a resolução da ONU, aprovada ontem (2), não sirva de pretexto "para piorar a situação económica e humanitária dos cidadãos" norte-coreanos.

Na quarta-feira, o Conselho de Segurança da ONU adotou por unanimidade sanções mais fortes impostas à Coreia do Norte em resposta aos recentes ensaios nucleares e balísticos feitos em janeiro e fevereiro pelo regime comunista.

A Resolução 2270 prevê inspeção obrigatória de mercadorias, restrições à exportação de matérias-primas, embargo ao comércio de armas ligeiras e proibição de venda ao país de combustível aeroespacial, entre outras medidas negociadas ao longo de sete semanas pelos Estados Unidos e a China.

A Coreia do Norte respondeu à nova resolução da ONU com o lançamento de seis mísseis de curto alcance.

O ministério da Defesa sul-coreano indicou que seis projéteis com um aparente alcance de 100 a 150 quilômetros foram lançados para o Mar do Japão pelas 10h (à 1h em Lisboa, às 22h em Brasília).

O porta-voz do ministério, Moon Sang-Gyun, disse que o governo ainda analisa o tipo de projétil disparado, mas vários peritos consideraram a possibilidade de serem mísseis balísticos KN-01, o que constituiria uma violação de todas as resoluções da ONU.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro