São Paulo registra 3 mil desabrigados em 17 cidades; Defesa Civil confirma 20 mortos - Hoje São Paulo
São Paulo, SP, 20/08/2018
 
13/03/2016 - 00h08m

São Paulo registra 3 mil desabrigados em 17 cidades; Defesa Civil confirma 20 mortos

Agência Hoje* 
Eduardo Saraiva
Chuvas bloqueiam estradas, causam destruição em 17 cidades e deixam mortos, feridos e desabrigados
Chuvas bloqueiam estradas, causam destruição em 17 cidades e deixam mortos, feridos e desabrigados

São Paulo (Agência Hoje) - As fortes chuvas que caíram em São Paulo na madrugada de sexta-feira, 11, causaram 20 mortes e deixaram 19 pessoas feridas e 951 desabrigadas em 17 municípios da Região Metropolitana. O balanço foi feito neste sábado pelas equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros.

Continuam desaparecidas cinco pessoas, todas no município de Mairiporã. As equipes do Corpo de Bombeiros continuam as buscas ininterruptamente no local.

No balanço dos 17 municípios mais atingidos pelas chuvas, 951 pessoas estão desabrigadas, tendo o atendimento das prefeituras, e 2.014 desalojadas, acolhidas em casas de amigos e parentes.

Além dos serviços prestados pela Polícia Militar, Bombeiros e Instituto Geológico, a Defesa Civil estadual oferece ajuda humanitária a estes municípios. Ao todo, foram entregues 378 kits de higiene, 436 de limpeza, 160 tênis, 760 luvas plásticas, 23 lonas plásticas, 355 lençóis, 565 colchões, 605 cobertores, 682 cestas básicas, 200 capas de chuva, 160 camisetas e mais 160 agasalhos. As prefeituras seguem nos atendimentos aos desabrigados.

Para realizar o atendimento às vítimas, a Polícia Militar dispôs, por meio do Comando de Policiamento Metropolitano de Guarulhos, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária, Polícia Ambiental, Grupamento Aéreo e o Comando e Operações Especiais, 350 profissionais, 89 viaturas, seis botes e duas aeronaves. Além destes policiais, a Defesa Civil, o Instituto de Geologia e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas contam com 43 profissionais e 10 viaturas no atendimento.

ALCKMIN FICA ASSUSTADO COM DESTRUIÇÃO EM FRANCISCO MORATO E PROMETE AJUDA

Francisco Morato, São Paulo (Agência Brasil/Marcelo Brandão) - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, pôde ver de perto as marcas que as fortes chuvas deixaram em Francisco Morato, na região metropolitana de São Paulo. De acordo com a prefeitura local, são oito mortes confirmadas, sendo uma criança. Foram contabilizados até o momento 70 imóveis interditados e 280 pessoas desalojadas.

Alckmin se encontrou neste sábado (12) com o prefeito de Francisco Morato, Marcelo Cecchettini. O prefeito expôs as necessidades em relação a projetos habitacionais para retirar famílias que moram nas áreas de risco. Cecchettini explicou as demandas e os recursos necessários para dar andamento no projeto.

Das famílias atingidas, apenas sete estão abrigadas em escolas municipais. A maioria dos desalojados foi acolhida por parentes e amigos. Uma campanha promovida pelo Fundo Social de Solidariedade de Francisco Morato está arrecadando roupas e alimentos da população. Segundo a prefeitura, a maior necessidade no momento é de alimentos não perecíveis e materiais de higiene pessoal e limpeza.

O volume de chuvas que atingiu desde a noite de quinta-feira (10) a região metropolitana de São Paulo foi maior que o previsto para um mês na região. As escolas municipais de Francisco Morato suspenderam. Por determinação do prefeito, todos os servidores públicos estão à disposição para atendimento às ocorrências.

“A prefeitura tem se empenhado no sentido de implantar medidas para a remoção das famílias em áreas de risco e lamenta profundamente pela tragédia que castigou a cidade e centenas de famílias vítimas da maior enchente da região”, diz a nota.

O Fundo Social de Solidariedade está em regime de plantão e pode ser contatado pelos telefones (11) 4608-1665 e (11) 9 9921-8035.

* Com informações do Governo do Estado de São Paulo

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro