São Paulo, SP, 14/11/2019
 
15/09/2014 - 16h04m

Time de futsal sub-13 vai representar país em torneio na Espanha

Agência Brasil/Alana Gandra 
Tânia Rêgo/Agência Brasil
O time vai representar o Brasil em torneio amistoso com o sub-13 do Real Madri, na Espanha.
O time vai representar o Brasil em torneio amistoso com o sub-13 do Real Madri, na Espanha.

Rio de Janeiro - O time de futsal sub-13 (garotos até 13 anos de idade), da escola particular Gay Lussac, vencedor do campeonato encerrado neste domingo (14), no Ginásio do Canto do Rio, em Niterói, vai representar o Brasil em torneio amistoso com o sub-13 do Real Madri, na Espanha, de 7 a 13 de novembro.

Foi a primeira vez que o Grupo Enel, de distribuidoras de energia, promoveu o campeonato de futsal sub-13 no Brasil. A Copa foi iniciada em 2002, no Chile, e se estendeu pelos demais países onde o grupo atua. O projeto é organizado anualmente. No Brasil, o evento ocorreu em Niterói, em parceria da distribuidora de energia Ampla, do Grupo Enel, com a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer, que já tem experiência na promoção de torneios esportivos estudantis.

A cidade foi escolhida por ser a sede da distribuidora, que abastece com energia elétrica 66 municípios do estado do Rio de Janeiro, que cobrem 73% do território fluminense e atende 2,8 milhões de clientes.

O campeonato ocorreu, simultaneamente, no Chile, Colômbia e Peru. Os vencedores desses países também serão premiados com viagem para a Espanha, onde disputarão o amistoso internacional entre si e com o time sub-13 do Real Madri. Em Niterói, disputaram a partida final dois times de projetos sociais apoiados pela Ampla (Canhotinha de Ouro e Centro Salesiano), um da Escola Municipal Rachide, que ficou em segundo lugar, e o vencedor, da escola Gay Lussac. A gerente de Responsabilidade Social da Ampla, Ana Paula Caporal, disse à Agência Brasil que a meta, em 2015, é levar o campeonato para outros estados.

Oito times de comunidades carentes, projetos sociais atendidos pela distribuidora de energia e escolas públicas e particulares de Niterói participaram da Copa Ampla de Futsal, durante o mês de agosto. Ana Paula disse que a receptividade das crianças foi muito boa, e destacou que o mais importante é que se trata de um “torneio de integração”.

“É muito importante trabalhar com esporte, porque a gente acha que ele é fundamental para a qualidade de vida das pessoas e, principalmente, das crianças. O esporte promove a inclusão social, reforça comportamentos positivos, trabalha a solidariedade, o espírito de equipe, a responsabilidade. Isso tudo a gente conseguiu por nas regras do campeonato, que a gente chama de regras de ouro”, disse Ana Paula.

Além de promover a integração social, a programação prevê visitas e orientações turísticas para os meninos dos times, que terão, ainda, espaços para jogos. O goleiro do time vencedor, Leonardo Pancieri, foi o menos vazado, com sete gols. Ele disse que o campeonato foi muito bom, “porque a gente foi campeão da Copa Ampla e está muito esperançoso para ir disputar o campeonato em Madri”. Leonardo, de 13 anos, está confiante em que seu time poderá se sagrar campeão também na Espanha. Ele já joga no Botafogo de Futebol e Regatas, e pretende seguir carreira.

O artilheiro da Copa Ampla, com 18 gols, Heverton Mesquita, da Escola Municipal Rachide, também quer ser profissional do futebol. Embora tenha manifestado que ficará feliz em ir para “qualquer clube que queira me receber”, não escondeu sua predileção: o Clube de Regatas do Flamengo, no Rio de Janeiro. Atualmente, ele treina no Botafogo, “mas não muito sério”.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro