São Paulo, SP, 23/06/2018
 
10/09/2016 - 21h56m

Tocha que acendeu Pira Olímpica na Rio 2016 e mais 15 mil objetos serão leiloados

EBC/Nanna Pôssa 

Rio de Janeiro - Os colecionistas estão de olho nos objetos usados por atletas durante os Jogos Rio 2016. Mais de 15 mil objetos foram colocados em leilão pelo Comitê Rio 2016.

A relíquia mais procurada no momento é a tocha que o ex-atleta Vanderlei Cordeiro de Lima carregou para acender a Pira Olímpica na cerimônia de abertura da Rio 2016, no Estádio Mário Filho, o Maracanã. A tocha já recebeu 100 lances e o valor já supera R$ 90 mil e a cifra pode aumentar já que este leilão encerra apenas na próxima quinta-feira (15).

Outras tochas oficiais assinadas por atletas que conquistaram medalhas de ouro durante os jogos também são leiloadas por meio do site do comitê.

Até o final da noite desta sexta-feira (9), o equipamento usado em um jogo ou competição com maior procura era a bola de Hóquei da decisão feminina que deu o ouro a seleção da Grã Bretanha. Um comprador está oferecendo quase R$ 10 mil pela bola que está colocada em uma base de acrílico. Outro objeto considerado valioso é a bandeira da China que foi usada durante o desfile da cerimônia de encerramento dos Jogos Rio 2016. O lance atual é R$ 2 mil.

Como Participar

Quem quiser dar seu lance precisa fazer um cadastro no site e fornecer nome, endereço e e-mail. No momento da proposta, o sistema solicitará os dados do cartão de crédito do usuário. Os objetos são colocados aos poucos no site, por isso, o horário de encerramento do leilão varia conforme o item.

Veja AQUI o site oficial do Leilão

O dinheiro arrecadado com a venda das peças pelo site será encaminhado ao Comitê Rio 2016.

Iniciativas deste tipo existem desde as Olimpíadas de Inverno de 2010, em Vancouver, no Canadá, mas esta é a primeira vez em que compradores do mundo inteiro e, não apenas do país sede podem dar lances para adquirir itens dos Jogos Olímpicos.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro