São Paulo, SP, 20/06/2018
 
06/02/2017 - 09h45m

Tribunal vai decidir de forma definitiva se EUA devem barrar imigrantes e refugiados

Agência Brasil/José Romildo, Correspondente em Nova Iorque 

Nova Iorque - Atendendo a solicitação do 9º Tribunal de Apelações, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (EUA) encaminhou, na madrugada desta segunda-feira (6), documento detalhando os motivos que levaram o presidente Donald Trump a baixar uma ordem executiva em dia 27 de janeiro.

A ordem vetava a entrada, por 90 dias, de cidadãos de sete países de maioria muçulmana - Iraque, Síria, Irã, Líbia, Somália, Sudão e Iêmen - nos Estados Unidos, de refugiados de qualquer origem por 120 dias e refugiados da Síria por tempo indeterminado.

Com base nesse documento e com informações a serem encaminhadas pelo juiz James Robart, que suspendeu a medida de Trump, o 9º Tribunal de Apelações vai se pronunciar de forma definitiva sobre a legalidade da ordem executiva. As autoridades do governo norte-americano esperam que o tribunal revogue a decisão de Robart. Com isso, o Departamento de Justiça espera restabelecer a proibição para a entrada de pessoas que representam potencial perigo de terrorismo.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro