São Paulo, SP, 23/09/2019
 
12/07/2016 - 13h11m

Volkswagen quer reduzir excedente de 3,6 mil funcionários

Agência Brasil/Fernanda Cruz 
Agência Brasil/Arquivo
Serão implementados programas de demissão voluntária, de lay-off, além do congelamento de reajustes salariais
Serão implementados programas de demissão voluntária, de lay-off, além do congelamento de reajustes salariais

São Paulo - A Volkswagen adotará medidas para reduzir um excedente de 3,6 mil funcionários na fábrica Anchieta, na região do ABC Paulista, informou o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Serão implementados programas como o de demissão voluntária, de suspensão temporária de contrato de trabalho (lay-off), além do congelamento de reajustes salariais.

A assessoria de imprensa da Volkswagen confirma que retomou as discussões com o sindicato para que, nas próximas semanas, “sejam construídas alternativas para o novo cenário que se impõe, além de outras medidas de eficiência e organização para a fábrica Anchieta”.

A empresa argumenta que as medidas serão tomadas em razão da retração no mercado automotivo. Está prevista queda de quase 20% na produção de veículos em 2016, na comparação com 2015, e de 40% em relação a 2014, segundo projeções da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Entre os planos a serem adotados estão o Programa de Proteção ao Emprego (PPE), que impõe redução da jornada de trabalho e do salário, mudanças na estrutura de remuneração, de funções, no banco de horas, recálculo da Participação nos Lucros e Resultados e congelamento do reajuste salarial em 2017, 2018 e 2019.

Devem ser afetados 2,5 mil trabalhadores da produção e 1,1 mil empregados do setor administrativo. Segundo o sindicato, atualmente 400 trabalhadores estão em PPE até 30 de setembro e 610 trabalhadores estão em lay-off desde março. No total, a fábrica tem 10,5 mil trabalhadores.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro