São Paulo, SP, 18/09/2019
 
17/08/2015 - 12h21m

57 anos de Madonna: relembre a trajetória da eterna Rainha do Pop

Agência Hoje  
Reprodução

São Paulo (Agência Hoje/Isabela Guiaro) - No dia 16 de agosto de 1958 nascia em Bay City, no estado de Michigan (Estados Unidos), Madonna Louise Ciccone, que viria a ser uma das artistas mais influentes da história da música pop mundial.

Começou a cursar dança na Universidade de Michigan, porém em 1977 abandonou as aulas e foi para Nova York com apenas 35 dólares no bolso e sem conhecer ninguém. Trabalhou como garçonete e passou a ser dançarina de apoio em concertos.

Em 1979 participou das bandas Breakfast Club e Emmy. Saiu de ambas e, depois de fazer voz de fundo para o cantor alemão Otto von Wernherr, o DJ e produtor Mark Kamins ficou impressionado e arranjou um encontro entre Madonna e Seymour Stein, o fundador da Sire Records, com quem assinou contrato.

O álbum “Madonna” é lançado e seu primeiro single “Everybody” se torna rapidamente um sucesso das pistas de dança norte-americanas. Não demorou muito para que seu estilo começasse a influenciar a maneira de vestir e pensar das mulheres, o que a tornou um dos maiores ícones dos anos 80.

A cantora marcou seu território definitivamente em 1984 com o lançamento de “Like a Virgin”, que vendeu cerca de 12 milhões de discos na estréia, se tornando o primeiro de seus discos a entrar na principal parada dos Estados Unidos, a Billboard 200, e que integra a lista dos 100 álbuns mais vendidos do mundo.

Pela primeira vez no mundo da música uma mulher se mostrava com forte apelo sexual explícito e indomável. Ainda que a parte conservadora da sociedade a criticasse, o fenômeno “Like a Virgin” ajudou Madonna a receber, mais tarde, o título de Rainha do Pop.

Os anos seguintes foram marcados pelo sucesso. O álbum “True Blue” (1986) teve três singles número um na Billboard Hot 100 ("Live to Tell", "Papa Don't Preach" e "Open Your Heart"), e mais dois no Top 10 ("True Blue" e "La Isla Bonita").

Com “Like a Prayer” (1989) não foi muito diferente. A canção que leva o mesmo nome do disco foi considerada pela Rolling Stone como "o mais próximo que o Pop chegou da arte". "Express Yourself", "Cherish" e “Spanish Eyes” também foram hits da época.

Em seus vídeos e apresentações Madonna continuava chocando o público. Seus bailarinos acariciavam seu corpo e a própria cantora simulava gestos de masturbação, enquanto o clipe de "Justify My Love" cenas de sadomasoquismo, sexo explícito, beijo entre um casal homossexual e nudez.

 

Após o lançamento dos álbuns “Erotica”, em 1992, e “Bedtime Stories”, em 1994, a cantora se aventurou no mundo do cinema, protagonizando o filme “Evita”, no qual interpretou a argentina Eva Perón. O trabalho foi bem recebido pelo público e lhe rendeu um prêmio Globo de Ouro de "Melhor Atriz em Filme Musical ou Comédia" e um Oscar de Melhor Canção Original por "You Must Love Me". Além disso, a canção "Don't Cry for Me Argentina" se popularizou em todo o mundo.

Após o nascimento de sua filha Lourdes Maria em 14 de outubro de 1996, a Rainha do Pop foi apresentada aos conceitos de misticismo, que refletiram diretamente em seu novo trabalho, “Ray of Light”. O disco recebeu quatro prêmios Grammy e entrou na lista "500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos", feita pela revista norte-americana Rolling Stone.

Semelhante ao álbum anterior, “Music” (2000) chega com batidas dançantes, mas com um pouco de influência da sonoridade country dos Estados Unidos. Além disso, foi o primeiro a estrear em primeiro lugar na Billboard 200 desde “Like a Prayer”.

Em observação à sociedade norte-americana, abordando temas como patriotismo em suas letras inteligentes e com um ritmo mais sério, Madonna lança “American Life” no ano de 2004, período no qual o país iniciou a Guerra contra o Iraque.

Já em 2005, a diva voltou com tudo lançando “Confessions on a Dance Floor”, que ganhou um Grammy de “Melhor Álbum Dance/Eletrônico”. O single “Hung Up” entrou para o Guiness Book como a canção que mais ficou em primeiro lugar na história e “Sorry” seguiu o embalo e ficou famosa em todo o mundo.

“Hard Candy” (2008) teve colaborações de nomes como Justin Timberlake, Timbaland, Pharrell Williams, entre outros. “4 Minutes” fez com que a cantora se tornasse a artistas com mas músicas no top 10 dos Estados Unidos, superando a marca que até então pertencia ao rei do rock Elvis Presley.

Seus trabalhos mais recentes são “MDNA” (2012) e “Rebel Heart” (2015) mostram que Madonna não pretende parar. Ainda que haja uma enorme “concorrência” no cenário atual do pop, a Rainha permanece em seu posto. Em 2012, seu concerto no Super Bowl quebrou o recorde como o mais assistido da história no intervalo dos jogos.

Além da carreira musical, “Madge”, como é cahamada carinhosamente, também se aventurou no mundo dos negócios. Lançou a linha de roupas “Material Girl”, desenhadas com ajuda de sua filha, Lourdes, além de abrir centros fitness de ginástica em cidades como Sidney, Moscou, Santiago e Cidade do México.

A cantora também participou de outros filmes depois de “Evita” e ainda é conhecida por suas diversas ações humanitárias na África, tendo feito concertos beneficentes e, inclusive, adotado algumas crianças.

Hoje São Paulo

© 2012 - Hoje São Paulo - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por ConsulteWare e Rogério Carneiro